Viajando pela história

Olá família Meatbox, conforme prometido, a partir deste mês,faremos uma viagem aos diversos estilos, contando um pouco da historia de cada um deles.
No post anterior, fiz questão de enfatizar a minha preferência pelas IPA’s (India Pale Ales), estilo o qual iniciaremos nossa jornada.

A IPA é um estilo inglês pertencente a famílias das Ales, que são cervejas de alta fermentação (fermentadas em graus elevados, em cima dos tanques), tornando-as mais encorpadas, caracteristicamente turvas.

Monge CervejeiroA produção de cerveja na Inglaterra se deu antes mesmo do tempo de Cristo e prosperou fortemente durante a ocupação do Império Romano, quando os cervejeiros ingleses municiavam as tropas de Roma com um grande arsenal da bebida. Passado muito tempo, depois da ocupação pelos Normandos( povo medieval estabelecido no norte da França, cuja aristocracia descendia em grande parte de vikings da Escandinávia ), por volta do ano 1100, as praticas de fabricação se tornaram mais organizadas, onde tradicionalmente eram produzidas em mosteiros construídos a partir da invasão.

O uso de lúpulos na produção ainda é de origem incerta, mas em algum momento da história, as pessoas começaram a perceber que se tratava de um conservante natural e começaram a utiliza-los como matéria prima mandatória para a produção. A primeira cerveja lupulada a entrar na Inglaterra foi importada da região dos Flandres( região norte da Bélgica ) em meados dos anos 1300, e a primeira menção a fabricação de cerveja com lúpulos naquele país foi em 1391 e esta registrada no “London City Letterbooks”

Em 1655, após altos impostos terem sido criados para a importação de lúpulos da Bélgica para a Inglaterra, iniciou-se a produção deste componente em 14 condados ingleses, tendo ao passar dos anos, sua produção se difundindo fortemente por todo o país.

A partir daí, a cerveja inglesa começou a ganhar mercado pelo mundo. O desenvolvimento do processo de exportação é um dos mais significantes fatores na historia da cerveja inglesa, onde o consumo nas embarcações não era novidade, já que grande parte dos navios britânicos lavavam barris para sua tripulação de marinheiros, que recebiam em torno de 5 litros por dia, tornando-se a melhor alternativa em substituição à água doce que era escassa nos navios.

A rota para a Índia era de longe a mais desafiadora!! Para a cerveja, os desafios da jornada não eram apenas as altas temperaturas ao se navegar próximo a linha do Equador, mas também os longos seis meses de viagem que ligaram uma costa a outra, onde o agito das ondas e as condições microbiológicas tanto da cerveja, quanto dos navios, ficavam comprometidos.

Mesmo que os cervejeiros da época não tivessem pleno conhecimento de manipulação de leveduras e praticas de sanitização com se tem atualmente, era sabido que, quanto mais alcoólicas e lupuladas as cervejas eram, mais tempo sobreviviam as situações adversas mencionadas acima.

Considerando tudo que foi contado, podemos dizer que as IPA’s nasceram através da necessidade de se conservar a cervejas nas longas jornadas pelo “caminho das índias”, contrariando a tese de muitas pessoas que acham que, pelo estilo levar o nome de India, o mesmo foi criado no pais asiático.

Características do Estilo

Cervejas de coloração turva, podendo apresentar diversos tons, desde pálidos, como o nome já diz( pale), até acobreados e levemente avermelhamos ( âmbar ).

Sua graduação alcoólica gira de 5% a 8%, podendo encontrar alguns sub-estilos ainda mais fortes como as Doubles IPAs ou Imperiais IPAs.

Além de todas estas características já marcantes, o estilo tem a assinatura de um forte amargor gerado pela grande presença de lúpulo, que faz a cabeça dos consumidores do mundo todo.

Não há como não se apaixonar pelas IPA’s!!!!!!

 

Dicas de Harmonização estilo India Pale Ale.

Hambúrguer Meatbox
Hambúrguer Meatbox

Tradicionalmente, como não poderia deixar de ser, não tem como fugir de uma bela IPA, harmonizando com um arrojado hambúrguer gourmet que encontramos tanto em nossa loja como no Kit Meatbox 2 e Kit Meatbox 4.

 


Poli MangoPoli Mango- Tupiniquim/Omnipollo – Cerveja colaborativa feita com o Henok Fentie, da cervejaria sueca Omnipollo. Leva em sua composição farinha de polenta e vários lúpulos cítricos e herbais norte americanos. Amargor intenso logo de cara, que lentamente se equilibra com as notas cítricas ( frutas amarelas, com predominância da manga) . Por se tratar de um Double ou Imperial IPA, seu teor é um pouco mais elevado que as demais IPA’s, contendo 9,5%, porém muito bem inseridos, imperceptível na degustação.

 


 

 

Punk Ipa BrewdogPunk Ipa- BrewDog – Escócia– A Punk é uma cerveja especial que quebra regras e padrões. Uma explosão de lúpulos cítricos e frutados de origem norte americanos domina o aroma, rico e fresco. Na boca, é refrescante e leve, com muita citricidade ressaltando o maracujá e um final bem amargo e seco, que chama pelo próximo gole. Atitude e equilíbrio são as palavras que definem essa maravilhosa IPA escocesa.”


Fuller's IPAFuller´s IPA – Inglaterra – Clássica cerveja inglesa, fabricada com lúpulos produzidos 100% na Inglaterra. Fiz questão de colocar como sugestão, onde vale muito a pena degusta-la, pois é um clássico no universo cervejeiro. Sua característica diverge um pouco das anteriores, pois apresenta um amargor intenso e seco, com aroma floral e picante, terminando com um tom frutado, bem abaixo dos estilos americanizados, o que nos faz mergulhar nesta linda imagem do característico fog londrino.

 

 


 

Mason JarrAs IPA’s inglesas são tradicionalmente degustadas em Pubs nas famosas e versáteis calderetas, mas o mundo cervejeiro moderno já vem adotando o Mason Jar, vulgo copo de geleia, como o copo oficial das Americans IPAs.

American IPA’s – Sub-estilo de IPA com formulações arrojadas, utilizando-se de lúpulos americanos, com características extremamente frutadas e cítricas. A diferença das Americans IPA’s para as IPA’s inglesas é bem marcante no que tange aos aromas e corpo.

Double ou Imperial IPA’s– Sub-estilo que carrega um corpo mais maltado e um teor alcoólico elevado em relação as IPA’s convencionais.

Minha recomendação é de que degustem as duas e tirem suas conclusões.

No próximo post, mostrarei alguns sub-estilos de IPA’s que veem sendo criados nos mundo cervejeiro moderno.

Até a próxima,

Cheers!!!

Matheus Testa